terça-feira, 13 de maio de 2008

minhas pernas curtas

Mentir é necessário. Quase sempre. O que você precisa é mentir para si mesmo. Pronto, já está preparado para enganar o mundo. O difícil não é tentar, mas conseguir. Difícil, pois uma máscara esconde apenas a expressão e não as idéias. Muito menos os sentimentos. Tudo o que precisamos é de um pouco de ilusão e buscar acreditar. Basta repetir várias vezes para si mesmo. Quem sabe como o tempo, você esquece que não é verdade e passa a viver uma farsa. Não que isso seja certo, longe disso. Mas afinal, o que é certo? Fazemos tantas coisas erradas e não vejo o motivo de implicar tanto com a mentira. Afinal de contas, ela é necessária. Conheço uma pessoa que é muito próxima e que percebe uma mentira no ar com uma facilidade inacreditável. Com certeza ela não concorda comigo, nem com esses escritos. Conseqüentemente, estou plenamente equivocado para ela, e para tantas outras. Mas o que posso fazer se é nisso que acredito? Quem sabe até isso já é uma mentira que eu criei faz tempo. Já não posso mais dizer. Pois termino dizendo a ela, que procure me entender. E mesmo que não consiga, que ao menos siga o ditado. Pois as pessoas devem ser amadas quando elas menos merecem, justamente por ser esse o momento que elas mais precisam.

5 comentários:

apulga disse...

... vc escreve bem, ca-ram-ba!
e eu não concordo com vc.
o dia que mentirem mto feio e vc sentir que destruiram sua vida vc vai concordar comigo. ou talvez já concorde, mas mentir pra se mesmo é sempre a pior mentira, como diria Renato Russo. E se vc começou a se enganar por esse meio dizendo que a mentira é necessária e que vc não concorda comigo, aí a coisa fica complicada. só espero que vc não minta pra mim...
você sabe, nem sempre o poder de captação de mentira funciona. tem aqueles que são melhor qualificados do que eu. vai saber se vc é um deles e ta mentindo a toda hora.
espero que não, deja vu predileto.
se cuida.
mas se cuida mesmo.
se cuida que é pra eu poder ter um deja vu.
tá bom, sem mentiras, se cuida que é pra eu poder ter um otimo amigo que é o que vc é.
té mais, té a noite.
Jeh

Bruno Guerrero disse...

jé, vc, assim como outras pessoas que leram meu texto, entenderam coisas diferentes. acho que me expressei mal. a mentira que estou me referindo é praticamente a transparência que temos para o resto do mundo, não algo que prejudique os outros. obrigado pelo comentário, anyway.

Caique disse...

Mas que gayzinho...

Mark disse...

Rapaz, legal você ter um blog, combinamos desde agora que toda vez que houver alguma atualização me avise para pelos menos dar uma conferida! ;D

Acho que o que fez você se expressar mal no seu comentário, foi achar que isso que falamos e repetimos para nós mesmo é uma mentira. Pois ao meu ver, não é. Se bem entendi seu ponto de vista, o que você chama de mentir e fingir, é o crer, chamam também de fé e nada mais é que acreditar que somos capazes de fazer, agir ou até mesmo ser qualquer coisa que nos propusermos realmente a tornar.

A mentira como disse o post acima, não aceitaria incorporar,se tornar uma verdade. Isso seria meramente atuar,é no fechar das curtinas, não ser mais o vilão ou o heroi, que você queria que os outros pensassem como você é. Acho que a consciencia sempre vai lembra-lo que você está atuando, e falando algo que não é verdade.

A mentira como diz o titulo, tem perna curta. Então cedo ou tarde todos(ou pior você mesmo), acabam descobrindo a verdade.

Valeu, continua escrevendo!

Alemão disse...

Jamais faça um bloco de texto como você fez, fica um puta saco de ler.

Dê Enteres,pula linha, parágrafo, cada um duma com, sei lá. Mas foi foda de engolir esse blocão de texto.

Quanto ao conteúdo, uma mentira repetida por cem vezes talvez vire uma verdade (talvez não.)

Mas, se necessário, minta. Para os outros, e não pra você, pequeno gafanhoto. E conselho, se fosse bom, não se dava, se vendia.

Vou virar psicólogo.