terça-feira, 8 de julho de 2008

hoje

- 30 horas sem dormir
- rodoviária
- um champagne esperando para ser aberto, e nada
- aonde estará o esperado?
- ligação de celular
- não, não pode ser...
- "ele não vem, volta com a mãe dele direto de campinas"
- na hora, um sentimento um pouco ruim (superado rapidamente)
- o cara nem sabe que perdeu a surpresa (obviamente...era surpresa)
- comida: café da manhã
- tlec, tlec, tlec
- pneu estourado
- "que da hora!!"... "tá bom, desculpa"
- graxa; mãos sujas; todo mundo pára e dá uma olhada
- "será que foi?"
- "se o carro andar, já tá bom", "ufa"
- terra, terra...
- farmácia... vamos comprar um remédio... "é, não tem aqui"
- chegando em casa: cama, direto
- sonhos estranhos
- 17 horas: "vai pra padaria, comprar pão e leite, por favor?"
- tchekhov
- computador
- agora.

3 comentários:

Guilherme Assen disse...

Futuro: careca!

É, Brunão, nem tudo acontece do jeito que planejamos. Acho que assim a vida é mais interessante, não acha? Quanto ao champagne, quando vamos abrir o meninão?

Comentário: na verificação de palavras tive que digitar tnKCTIS. É... simbólico, não?

Marcelo Hasimoto disse...

é cara, e o rapaz perdeu uma das melhores surpresas da vida dele!
Uma infelicidade!
Ele pede desculpas, sinceras.

apulga disse...

e agora?

bom, vc esta lendo o comentário de sua querida amiga que diz que vai assistir o curta agora. se der.